Política de privacidade

Estes dados são registados informaticamente e destinam-se única e exclusivamente para contacto por parte desta entidade.

Artigo

Dicas e Testemunhos

Ver o mundo com um ovo olhar

Por Luís Filipe Borges

04.06.2020 | 0 Comentários | 0 Likes

Ver o mundo com um ovo olhar

O dia em que vos escrevo é o 80º desde que iniciei o agora
chamado Grande Confinamento. No total terei saído de casa
uma dezena de vezes, para rápidas e necessárias idas ao
supermercado e à farmácia. Não contando, claro, com passear
a cadela – função em que nos dividimos por turnos. A Sara
vai com a Indie pela fresquinha da manhã, eu pela calada da
noite. Podiam ter sido mais actividades no exterior, não
fosse o caso da DEROVO – muito amavelmente – nos ter
providenciado a capacidade de encher o frigorífico com
produtos. Dois ovos cozidos tornaram-se o meu pequeno-
almoço diário, as omoletes de clara um saudável jantar
regular, o Fullprotein parceiro inseparável dos treinos da
entidade conjugal – à razão de dois, às vezes três, por
dia. Fico tão cansado de vê-la treinar que, por vezes, faço
uma gemada p’ra mim.
Há exactamente uma semana atingi o limite. Já não suportava
as paredes lá de casa. Então peguei na mulher, cadela e
gato, e via Home Away, descobrimos um novo cenário para nos
isolarmos, uma casinha encantadora nos arrabaldes de
Silves.
Bagagem obrigatória: ovo líquido, ovo em pó, ovo ovo ovo.
E finalmente sacudi o sedentarismo a que estes tempos
tristonhos me tinham remetido. É após uma caminhada de 5
kms que vos escrevo, o batido ao lado do teclado, um vigor
renovado a percorrer o corpo (e uns certos gemidos de
queixume murmurados pelas costas). Talvez sejam os ares do
campo, talvez seja da fonte que corre mesmo aqui ao lado,
talvez seja do alimento mais completo que a generosa Terra
oferece, mas sinto-me a recuperar algum do fulgor antigo. E
isso, para um quarentinha, sabe a férias com mergulhos e
jogatanas de bola no areal.
Nenhum de nós vai para novo, e o mundo mudou. Mas em vez da
irritante expressão “Novo Normal” ou da precoce “Pós-
Pandemia” (essa então deixa-me logo os pelinhos da nuca
eriçados) recomendo que cunhemos o termo “Ovo Normal”. O
mundo nunca mais será o mesmo, mas o ovo sim.

E é bom, se vamos navegar na tormenta, saber que o mastro existe e
resiste. Bom – e sadio – desconfinamento para todos.

Comediante, Argumentista, Açoriano, Benfiquista (não necessariamente por esta ordem)
Luís Filipe Borges

Guarda-redes Amador

Nadador Incansável

Frequenta o ginásio com tremendo masoquismo

Gostei do artigo
0

Gostou deste artigo?

Partilhe com os seus amigos!

Deixe a sua opinião