Política de privacidade

Estes dados são registados informaticamente e destinam-se única e exclusivamente para contacto por parte desta entidade.

Artigo

Nutrição e treino

Quando ele te bate à porta

Por Gonçalo Rocha

05.05.2021 | 0 Comentários | 4 Likes

Já existia um alvoroço enorme, eram as lojas prestes a abrir, era o desejo de fazer uma reserva num restaurante, eram os ginásios quase a abrir e eu próprio já estava ansioso por mais um desconfinamento (que espero que seja o último). Faltavam apenas uns dias para que tudo isso acontecesse e foi quando percebi que tinha chegado a minha vez e o vírus me estava a bater à porta.

Inicialmente não percebi, tinha feito um treino mais intenso no dia anterior, e no dia seguinte levanto-me e... “possa, que malha que levei ontem”, pensei eu. O estranho foi que nesse dia quis treinar novamente e doía-me tudo: os abdominais, os ombros, as pernas... Ignorei, até treinei novamente e pensei: “Gonçalo estás tão forte que ontem a malha deixou-te assim”. Ao longo do dia continuei com as tais “dores do treino”, e no dia seguinte chega a notícia... quem te bateu à porta foi mesmo um tal de Covid-19.
A história que vos quero contar é o desencadear de tudo isto, o facto de ter confundido as dores musculares do treino com os sintomas Covid-19, o facto de ter sido apenas esse o sintoma durante dias e o porquê de não ter tido mais complicações.
Quando vemos milhares de pessoas a morrer e imensas a passarem muito mal nos cuidados intensivos, questiono-me eu porque razão apenas tive uns ligeiros sintomas. Pode ter sido meramente sorte, ou talvez não. Não mesmo, o meu estilo de vida define tudo o resto, define a sorte nestes momentos.

Se tens um estilo de vida ativo e saudável isso faz de ti alguém com menos probabilidade de desenvolveres sintomas mais severos nestas circunstâncias.
Mas onde começa tudo isto da construção de um bom sistema imunitário? Começa lá bem atrás quando éramos crianças, quando as nossas mães nos ralhavam por andarmos a jogar à bola à chuva, ou até por andar a brincar na areia molhada, no meio das possas de água, ou até mesmo fazer de bolas de areia, autênticas sobremesas. Sim, tudo isto que fazíamos em pequenos serve claramente para construir um sistema imunitário mais forte. Mas é claro que apenas e só isto não chega, precisamos, mesmo em adolescentes ou em adultos, mantermos uma alimentação saudável, com o sono reparador e sermos ativos. Quando falo em ativos, não peço que sejamos todos atletas, até porque nesse aspetos temos vários exemplos de atletas de alto rendimento que já sofreram com este nosso “novo vizinho” (Covid-19). Então e porque razão sofrem tantos os atletas de alto rendimento?!
A resposta é simples e vai ao encontro do que vos quero dizer.

Quando somos atletas de alto rendimento ou obcecados por uma modalidade, muitas das vezes acabamos por ter algumas carências ao nível do sistema imunitário, e é aqui que o nosso “novo vizinho” nos ataca. Quando o nosso sistema imunitário fraqueja as nossas defesas ficam mais reduzidas, o vírus entra livremente, fazendo-nos sofrer de consequências mais severas. No meu caso, ele bateu à porta e apenas conseguiu entrar porque no dia anterior às dores musculares tinha feito um treino muito intenso, o que me fez baixar as defesas momentaneamente, sentindo no dia seguinte apenas um dos sintomas mais ligeiros do Covid-19.
Basicamente o que retiro da minha experiência e partilho convosco é que quando tens uma vida saudável, uma alimentação adequada, sem exageros, com atividades físicas adequadas a ti, terás uma menor probabilidade de sofrer com este tormento que nos assola há alguns meses.
Esta é a minha história, o meu caso de Covid-19, mas serve para explicar que quando levas contigo uma vida saudável e positiva tens a probabilidade a teu favor. Por isso não arrisques, joga pelo seguro, protege-te, previne antes que tenhas de procurar a cura.

PORQUE A MELHOR CURA É A PREVENÇÃO!

Árbitro de Futsal FPF, Coach de Crossfit L1
Gonçalo Rocha

Entusiasta e praticante de um estilo de vida e alimentação saudável

Gostei do artigo
4

Gostou deste artigo?

Partilhe com os seus amigos!

Deixe a sua opinião