Política de privacidade

Estes dados são registados informaticamente e destinam-se única e exclusivamente para contacto por parte desta entidade.

Artigo

Dicas e Testemunhos

Mundo, apresento-vos Covid José

Por Luís Filipe Borges

02.09.2020 | 0 Comentários | 0 Likes

Setembro, época na qual era tradicional ouvir-se o toque de finados da silly-season e regressarem temas sérios, novidades, espécie de recomeço após o descanso veraneante. Hoje, silly é uma espécie de estado civil disseminado pelas redes sociais e, com cada vez mais portugueses desempregados ou em lay-off, o termo “férias” devia passar a “stand-by”.

Enfim, o parágrafo introdutório foi longo e uma espécie de tímida preparação para um anúncio: vou ser pai. São três palavras apenas e um total de nove letras somente, mas nem consigo explicar de forma justa ao leitor como é que essa simplicíssima frase me faz sentir. É um cocktail de entusiasmo e pavor. Uma bomba relógio de final feliz. Um electrocardiograma permanente. Perdi honestamente a conta ao número de vezes em que me inquiriram sobre quais os sonhos por realizar: e sempre a mesma resposta. Esta, que agora se anuncia com 22 semanas já, um Tomé a crescer dentro da mulher da minha vida, um futuro rapazola que já nos fez passar por sustos tremendos: entre vómitos, sangramentos, diagnóstico combinado de risco, biópsia às vilosidades coriónicas (eis um conjunto de palavras que não se escreve todos os dias), enfim. E de repente somos acometidos de conselhos e livros, dicas e listas, a vida toda a reorganizar-se como dez batalhões de artilharia em vésperas do desembarque na Normandia.

Soubemos a 18 de maio, gravidez de 3 a 4 semanas, o que implica que o rebento foi congeminado em redor do 25 de Abril. Tive um pesadelo em que o bebé surgia ao mundo já de impecável barba e boina, possuidor de suas primeiras palavras: “liberdade ou morte!”. É um Covid José, um fruto puro do Grande Confinamento, e – no meio dos suores frios por me sentir totalmente impreparado e ao mesmo tempo absurdamente feliz – poupo-me a angústias: estávamos, a Sara e eu, presos em casa. Portanto só pode ser meu. A menos que aquele estafeta jeitoso da Glovo, hmm…

Agora dou comigo a praticar exercício religiosamente todos os dias (e a necessitar de novas encomendas Derovo com capital urgência). Quando o mânfio tiver 18, o pai terá 61. Quero muito ser capaz de saltar igual a ele, tal e qual, dois índios eufóricos nas bancadas da Luz.

Comediante, Argumentista, Açoriano, Benfiquista (não necessariamente por esta ordem)
Luís Filipe Borges

Guarda-redes Amador

Nadador Incansável

Frequenta o ginásio com tremendo masoquismo

Gostei do artigo
0

Gostou deste artigo?

Partilhe com os seus amigos!

Deixe a sua opinião