Política de privacidade

Estes dados são registados informaticamente e destinam-se única e exclusivamente para contacto por parte desta entidade.

Artigo

Nutrição e treino

Ingestão Proteica Recomendada

Por Filipa Vicente

27.07.2020 | 0 Comentários | 0 Likes

A proteína é o macronutriente construtor por excelência. As funções mais importantes que têm lugar no corpo humano são mediadas ou promovidas por proteínas, as enzimas ou as hormonas, e os tecidos do corpo humano têm proteínas como componente estrutural de destaque sobretudo o orgão do movimento – o músculo.
Por esse motivo, a ingestão proteica adequada, suficiente e equilibrada tem um uma importância acrescida em matéria de promover a saúde, a integridade física, a imunidade e ainda assegurar a reparação e recuperação do músculo entre sessões de exercício.
A ingestão de proteica adequada e suficiente que satisfaz as necessidades de 98% dos indivíduos saudáveis é de 0,8 gramas de proteína por kg de peso. No entanto, as recomendações podem igualmente ser expressas em função da ingestão energética e nesse critério, a contribuição proteica pode ser tão variável quanto 10 a 35% da ingestão energética.
Esta variabilidade é significativa, um homem de 70kg poderia ingerir 56g de proteína por dia segundo a primeira referência mas, se seguíssemos o segundo critério, a ingestão poderia ser tão variável como 56 a 175g de proteína por dia (em 2000kcal) 1 .
Estas duas recomendações são feitas numa perspetiva de alimentação saudável e equilibrada para a população em geral mas ainda assim poderiam ser mais precisas.
A ingestão energética do indivíduo pode ser muito variável pelo que pode ser mais interessante e rigoroso estabelecer a ingestão proteica em função do peso corporal.
Na sua revisão de literatura, o grupo do Professor Stuart Philips aponta como uma ingestão recomendada para otimizar o estado de saúde do indivíduo um valor entre 1,2 a 1,6g de proteína/kg de peso . Appl Physiol Nutr Metab 2016 May;41(5):565-72. doi: 10.1139/apnm-2015-0550
A prática de exercício físico pode aumentar esta necessidade uma vez que um indivíduo fisicamente ativo tem maior necessidade de recuperação proteica e a sua melhoria contínua da performance depende de alguma evolução, ainda que variável com a modalidade, na composição corporal com ganhos de massa magra.
Nesse sentido, a ingestão recomendada na prática desportiva varia sobretudo de acordo com a modalidade e a sua natureza (endurance, força, potência, estética) e o nível do atleta (recreativo, elite) entre 1,2 a 2,2g/kg de peso 3,4.

Nutricionista 1369N
Filipa Vicente

Professora Auxiliar no Instituto Universitário Egas Moniz

Licenciada em Ciências da Nutrição (ISCSEM)

Doutora em Alimentação e Nutrição (Universidade de Barcelona)

Gostei do artigo
0

Gostou deste artigo?

Partilhe com os seus amigos!

Deixe a sua opinião